Poema de Tamara Fracalanza

Amarras
nas nádegas
Sorrateiras memórias
do calabouço
erguido
das paredes das sombras
do outro
Aquele desconhecido
fantasmagórico
e mascarado

Tão claro

A clareza
da sombra povoa
aprisiona
Inquestionável e único
Uno
Imposto sem rodeios
desconfortante
inquietado
Exigências com lanças
lançadas ao pescoço
sufocantes moldeiras
sem poder ser
o que se quer ser

Tamara Fracalanza / tamfracalanza@gmail.com

Anúncios

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s